ARTROSE DO JOELHO

ARTROSE DO JOELHO

A artrose do joelho é uma doença relativamente comum em pessoas com mais de 60 anos de idade. A artrose é a doença que mais acomete o joelho. Ela é uma patologia inflamatória caracterizada pela degeneração da cartilagem. Popularmente as pessoas dizem que a cartilagem do joelho se desgastou. A artrose do joelho pode comprometer bastante a qualidade de vida do paciente porque provoca dor e limita a sua mobilidade. A artrose do joelho também é conhecida como osteoartrite do joelho ou gonartrose.

CARTILAGEM

Cartilagem é o tecido branco e brilhante que recobre as extremidades ósseas dentro de uma articulação. No joelho existe cartilagem nos côndilos femorais, no platô tibial e também na patela. A cartilagem funciona como um amortecedor. Sua superfície é lisa para permitir que os ossos se articulem entre si com o mínimo de atrito. Cerca de 80% da estrutura da cartilagem é formada por água. Os 20% restantes formam um emaranhado de fibras, a matriz condral. Dentro da matriz condral, em diminuta quantidade, estão os condrócitos, as células da cartilagem.

LÍQUIDO SINOVIAL

O líquido sinovial é o líquido lubrificante natural das nossas articulações. Ele é bastante viscoso e tem a função de lubrificar e nutrir a cartilagem. Também faz parte do sistema de amortecimento do joelho. O líquido sinovial parece ter papel importante no desenvolvimento da artrose.

REGENERAÇÃO DA CARTILAGEM

A cartilagem é um tecido especializado que tem características muito especiais. Trata-se de um tecido não vascularizado e com poucas células. Os condrócitos, que são as células da cartilagem, têm um metabolismo extremamente lento porque trabalham em anaerobiose, quase sem oxigênio. Eles recebem muito pouco oxigênio porque estão dentro de uma estrutura não vascularizada. Esses fatores contribuem para a diminuta capacidade regenerativa do tecido condral. A cartilagem gasta praticamente não se regenera.

ARTROSE DO JOELHO

A artrose do joelho é uma doença multifatorial que acomete milhões de pessoas em todo o mundo. Nas fases mais avançadas da doença o paciente sente muita dor e tem a mobilidade do joelho diminuída, comprometendo significativamente a qualidade de vida. O processo degenerativo da cartilagem começa com o seu amolecimento e, à medida que a degeneração aumenta, a cartilagem vai ficando cada vez menos espessa, até chegar ao grau IV, onde há exposição do osso subcondral. Quando a artrose, já no grau IV, afeta duas superfícies adjacentes que se articulam, passa a haver contato de osso com osso.

BIOMECÂNICA

Um dos motivos para que o joelho seja a articulação mais acometida pela artrose é a sua biomecânica. O joelho, quando fletido, se transforma no centro de uma alavanca que multiplica o peso corporal algumas vezes. A cartilagem, depois de amolecida, não consegue suportar as grandes pressões a que é submetida e começa a degenerar.

ARTROSE NO JOELHO

ESCADAS, AJOELHAR E AGACHAR

Existem alguns movimentos que fazemos quase todos os dias e que forçam bastante o joelho. Nós não percebemos isso. Só vai perceber quem tem alguma lesão ou comprometimento da cartilagem. Subir e descer escadas, agachar e ajoelhar sobrecarregam muito o joelho. Sair da posição sentada para a posição de pé também exige muito da articulação. Esses movimentos provocam dor no joelho cuja cartilagem está em degeneração.

IDADE

O processo de desgaste da cartilagem do joelho acontece em todas as pessoas e aumenta com o passar dos anos. Todas as pessoas acima de 60 anos de idade já têm algum grau de degeneração da cartilagem do joelho. Atualmente a artrose do joelho é diagnosticada rotineiramente porque a expectativa de vida das pessoas aumentou bastante. Artrose do joelho passou a ser uma doença comum.

FATORES PREDISPONENTES

Existem muitos fatores predisponentes para o desenvolvimento da artrose do joelho. Esses fatores são divididos em dois grupos: fatores modificáveis e fatores não-modificáveis. Os fatores modificáveis mais importantes são: peso corporal, tabagismo, excesso de atividades físicas, exercícios de alto impacto e má-alimentação. Os fatores não-modificáveis são: idade, sexo, genética e doenças reumáticas. Provavelmente existem ainda outros fatores ainda desconhecidos.

PRIMEIRO SINTOMA

O primeiro sintoma da artrose no joelho, segundo vários estudos, é o desconforto ou dor ao usar escadas, principalmente ao descer.

SINTOMAS

Dor, crepitação articular, falseio, joelho inchado e deformidade progressiva são os sintomas da artrose do joelho. A artrose é uma doença que se manifesta na forma de crises. Com o passar dos anos, as crises vão ficando mais frequentes, duram mais dias e a intensidade da dor aumenta. Nos graus avançados da doença a dor passa a ser contínua. O processo degenerativo da cartilagem é lento e a exposição óssea acontece somente depois de vários anos.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico definitivo da artrose do joelho é feito por exames de imagem. O RX e a ressonância magnética são os dois exames comumente solicitados pelo médico especialista. No RX não é possível ver a cartilagem, mas podemos identificar os sinais radiológicos da artrose: diminuição do espaço articular, esclerose subcondral, subluxação, desvios angulares, geodos e osteófitos. O exame mais importante é a ressonância magnética que mostra, além do desaparecimento da cartilagem, as lesões que podem estar associadas. Corpos livres, lesões nos meniscos e edema ósseo são diagnosticados no exame de ressonância magnética.

GRAUS DA ARTROSE NO JOELHO

ESTÁGIOS DA ARTROSE

A artrose do joelho é dividida em 4 graus ou estágios. No grau I há um pequeno comprometimento da cartilagem. No grau II até 50% da espessura da cartilagem está comprometida. No grau III mais de 50% da espessura da cartilagem já degenerou. No grau IV há exposição óssea.

NECROSE AVASCULAR

A necrose avascular, também chamada de osteonecrose, pode acometer joelhos com artrose. Áreas ósseas do fêmur e da tíbia podem ter a sua vascularização interrompida. O osso torna-se desvitalizado. O joelho fica mais doloroso subitamente.

TRATAMENTOS

A artrose é uma doença que ainda não tem cura conhecida. Mas, mesmo sendo uma doença incurável, existem vários tratamentos para a artrose do joelho. Todos os tratamentos são paliativos porque nenhum deles fará a cartilagem se regenerar. Os tratamentos têm dois objetivos: diminuir o principal sintoma da doença, a dor, e também diminuir a velocidade de degeneração da cartilagem. Os tratamentos são divididos em 3 grupos. No grupo I estão os medicamentos ingeridos por via oral para diminuição da dor ( analgésicos e anti-inflamatórios ). No grupo II estão os medicamentos aplicados diretamente no espaço articular ( infiltrações articulares ). No grupo III estão as cirurgias. A fisioterapia pode ser associada com todos os tratamentos.

ANALGÉSICOS E ANTI-INFLAMATÓRIOS

Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios podem ser usados nas fases iniciais da doença quando a crise dura apenas alguns dias e a intensidade da dor não é muito forte. Esses medicamentos têm efeitos colaterais e não devem ser tomados de forma contínua. Anti-inflamatórios podem afetar a função dos rins e não devem ser tomados por pessoas de mais idade sem prescrição médica.

INFILTRAÇÃO ARTICULAR

Diversos medicamentos podem ser injetados diretamente no espaço articular do joelho para diminuir os sintomas da artrose. Analgésicos, anti-inflamatórios, ácido hialurônico e Botox® são os remédios mais aplicados no joelho.

ARTROSCOPIA

A artroscopia é uma cirurgia minimamente invasiva que pode ser indicada para limpeza da articulação artrósica. Pacientes submetidos a toalete artroscópico do joelho sentem diminuição da dor articular por alguns meses.

OSTEOTOMIA

A osteotomia pode ser indicada para pacientes jovens, com artrose unicompartimental avançada, e que ainda não têm idade para a cirurgia de artroplastia.

ARTROSE

ARTROPLASTIA

A cirurgia de artroplastia do joelho é o último recurso. Ela é indicada para os casos de artrose avançada em pacientes onde nenhum dos tratamentos menos agressivos funciona mais. O joelho artrósico é substituído por implantes.

SUBCONDROPLASTIA

A subcondroplastia é um tratamento inovador que pode evitar a cirurgia de prótese de joelho em alguns pacientes. Cimento ósseo biológico é injetado em áreas comprometidas do osso subcondral do fêmur e da tíbia. O paciente sente uma diminuição importante da dor no joelho nos casos onde a dor principal tem origem subcondral.

CÍRCULO VICIOSO DA DOR

A artrose provoca dor no joelho. O paciente, por causa da dor, movimenta menos o joelho artrósico. Com menos movimentação do joelho a dor aumenta. Esse é o círculo vicioso da dor da artrose do joelho. Quem tem artrose precisa exercitar o joelho doente, mas tem que escolher um tipo de exercício que não sobrecarregue o joelho para não aumentar ainda mais o desgaste da cartilagem. Atividades na água, bicicleta e elíptico são os três melhores exercícios para quem tem os joelhos artrósicos.

SUPLEMENTOS

Diversos suplementos são tomados pelos pacientes com artrose no joelho. De tempos em tempos aparece uma moda nova. Cartilagem de tubarão, condroitina, glucosamina e colágeno são os suplementos mais consumidos atualmente. Vários estudos já comprovaram que eles não têm efeito na cartilagem e não são melhores do que um placebo.

OBESIDADE

A obesidade é o fator número um para o desenvolvimento da artrose no joelho. Uma notícia boa é que a obesidade é um fator modificável. Pacientes com artrose no joelho devem manter o peso corporal dentro da faixa de normalidade para evitar a rápida progressão do processo degenerativo condral.

ÁCIDO HIALURÔNICO

A aplicação intra-articular de medicamentos à base de ácido hialurônico é o melhor tratamento disponível para a artrose na atualidade. O tratamento é chamado de viscossuplementação. As aplicações melhoram a lubrificação articular, diminuem a dor e retardam o processo degenerativo da cartilagem.

ESPECIALISTA

Artrose do joelho deve ser diagnosticada e tratada por um médico ortopedista especialista em joelho. O paciente precisa ser acompanhado periodicamente.

WhatsApp
(41) 98824-3384
Cadastro
Agendamento