LESÕES E DOENÇAS DA PATELA DO JOELHO

LESÕES E DOENÇAS DA PATELA DO JOELHO

A patela, também chamada de rótula, é o osso móvel localizado na frente do joelho. Ela é um osso sesamóide ( está dentro do tendão do músculo quadríceps da coxa ). A patela funciona biomecanicamente como o fulcro de uma poderosa alavanca que é responsável pelo movimento de extensão do joelho. Ela e as estruturas adjacentes suportam grandes cargas e são suscetíveis a doenças e lesões. O mecanismo extensor, do qual a patela faz parte, é a estrutura mais importante do joelho. Ele suporta forças que podem atingir de 8 até 12 vezes o peso do nosso corpo.

CONDROMALÁCIA PATELAR

CONDROMALÁCIA PATELAR, também conhecida como CONDROPATIA PATELAR, é uma doença degenerativa que atinge a CARTILAGEM DA PATELA. A cartilagem é o tecido branco e brilhante que reveste os ossos na parte interna das articulações e cria uma superfície lisa e regular para que eles se articulem entre si de forma muito suave e quase sem atrito. Dizemos que o joelho tem condromalácia quando já existe comprometimento da estrutura da cartilagem.

TENDINITE PATELAR

O tendão patelar une a patela à tíbia. Processos inflamatórios podem acometer o tendão patelar porque ele é um dos tendões mais solicitados no nosso corpo, principalmente durante atividades esportivas. A TENDINITE PATELAR também é conhecida como JOELHO DO SALTADOR.

TENDINITE QUADRICIPITAL

Processos inflamatórios podem acometer o tendão do quadríceps porque ele também é um tendão muito solicitado. A TENDINITE QUADRICIPITAL é comum em corredores de velocidade e atletas de esportes que tenham chutes e saltos ( futebol, basquetebol, voleibol, etc… ).

INSTABILIDADE DA PATELA

LUXAÇÃO DA PATELA

LUXAÇÃO PATELAR, também conhecida como DESLOCAMENTO PATELAR, acontece quando a PATELA sai do lugar. Na articulação normal a patela está centrada na tróclea, o sulco no fêmur onde ela se articula, fazendo parte do MECANISMO EXTENSOR DO JOELHO, que é formado pelo músculo quadríceps femoral, a própria patela e o tendão patelar. A patela apresenta uma boa mobilidade quando o joelho está em extensão e relaxado. Traumatismos ou alterações anatômicas podem levar a patela a sair da tróclea femoral.

DOENÇA DE SINDING-LARSEN-JOHANSSON

DOENÇA DE SINDING-LARSEN-JOHANSSON é um processo inflamatório que acomete o tendão patelar na sua origem no polo inferior da patela. Acomete crianças e adolescentes fisicamente ativos, sendo mais comum entre os 10 e 13 anos de idade. No adulto a patologia equivalente é a tendinite patelar.

SÍNDROME DA HIPERPRESSÃO PATELAR LATERAL

A SÍNDROME DA HIPERPRESSÃO LATERAL DA PATELA acontece quando a patela não está se articulando normalmente com o seu sulco no fêmur ( tróclea femoral ), estando inclinada e subluxada lateralmente. A força de compressão no compartimento femoropatelar lateral é excessiva e pode levar a danos irreversíveis na cartilagem.

FRATURA DA PATELA

A fratura da patela é a fratura mais frequente do joelho. Acontece, mais comumente, quando a pessoa sofre uma queda e bate o joelho diretamente no chão ( traumatismo direto ), ou quando uma força excessiva do quadríceps é aplicada ao osso ( traumatismo indireto ).

BURSITE PRÉ-PATELAR

É o processo inflamatório que acomete a bursa pré-patelar. A região anterior do joelho fica inchada, dolorida e avermelhada. Acomete pessoas que fazem atividades apoiando o joelho no chão.

ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL

PLICA SINOVIAL

As paredes internas do nosso joelho são revestidas por uma membrana chamada SINÓVIA. Essa membrana, responsável principalmente pela produção do LÍQUIDO SINOVIAL ( o líquido transparente e amarelado que lubrifica e nutre a cartilagem ), possui várias pregas – ou dobras – chamadas de PLICAS SINOVIAIS. Essas plicas são normais, são encontradas em todos os joelhos, e se projetam para dentro da cavidade articular. Elas são remanescentes do desenvolvimento embriológico do joelho e não apresentam função. As três plicas mais comuns encontradas nos joelhos são: a plica INFRA-PATELAR ( também chamada de LIGAMENTO MUCOSO ), a plica SUPRA-PATELAR e a plica MÉDIO-PATELAR. A plica que mais apresenta problemas é a plica MÉDIO-PATELAR. As plicas são normalmente assintomáticas, mas podem começar a incomodar em algumas situações: traumatismos do joelho, atividades físicas repetitivas ( corrida e ciclismo, por exemplo ) e hipertrofia sinovial devido a doenças.

PATELA BIPARTIDA

A PATELA BIPARTIDA acontece quando os núcleos de ossificação do osso não se fundem. Acomete até 3% da população em geral. A patela bipartida é formada por duas partes ossificadas separadas entre si por uma trave de cartilagem. A patela bipartida pode ser causa de dor na região anterior do joelho.

PATELA ALTA

A PATELA ALTA é uma das causas de instabilidade patelar. A patela encontra-se mais alta do que o normal dentro do seu sulco, no fêmur. O tendão patelar de quem tem patela alta é um pouco mais longo do que deveria ser. Isso faz com que a patela seja hiperpressionada contra o fêmur já no início do movimento de flexão, predispondo a cartilagem à degeneração precoce.

PATELA BAIXA

A PATELA BAIXA, como o nome sugere, acontece quando a patela está numa posição mais baixa do que o normal dentro da tróclea femoral. O tendão patelar está encurtado. Os movimentos do joelho ficam limitados e o paciente sente dor na região anterior do joelho. A imobilização prolongada do joelho em extensão e cirurgia prévia são as causas mais comuns de patela baixa.

WhatsApp
(41) 98824-3384