OSTEONECROSE DO JOELHO

OSTEONECROSE DO JOELHO

A OSTEONECROSE, também chamada de NECROSE AVASCULAR ou NECROSE ASSÉPTICA, é o infarto ósseo que pode acometer o fêmur e/ou a tíbia na região do joelho. O tecido ósseo acometido tem sua vascularização diminuída de forma abrupta e torna-se desvitalizado. A doença foi descrita por Ahlback em 1.968. A osteonecrose é uma doença diferente da ARTROSE, que acomete pessoas mais idosas, e da OSTEOCONDRITE DISSECANTE, que acomete pessoas mais jovens.

INCIDÊNCIA

A osteonecrose do joelho é mais comum em mulheres, pessoas obesas e pessoas com mais de 55 anos de idade.

QUADRO CLÍNICO

O paciente com osteonecrose sente uma dor forte no joelho, de aparecimento súbito, sem que tenha havido algum traumatismo. Normalmente a dor é na região medial do joelho e piora à noite. A dor alivia com o repouso e piora com as atividades físicas. Medicamentos analgésicos não diminuem o quadro álgico. A dor no joelho tende a aumentar progressivamente, se não for instituído o tratamento, até ficar tão intensa que deambular fica impossível.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico de osteonecrose no joelho é feito pelos exames de Ressonância Magnética e Cintilografia Óssea. As radiografias, na fase inicial da doença, são normais.

TRATAMENTO

O tratamento da osteonecrose do joelho dependerá do grau e da extensão do infarto ósseo. O tratamento inicial consiste na retirada de carga da articulação por algumas semanas. O paciente sente um grande alívio da dor. Essa medida costuma ser suficiente para permitir a revascularização óssea. Casos que não respondem ao tratamento conservador devem ser tratados cirurgicamente. A primeira opção é a SUBCONDROPLASTIA, um novo tratamento que apresenta excelentes resultados. A última opção é a ARTROPLASTIA.

WhatsApp
(41) 98824-3384