COLÁGENO

COLÁGENO PARA ARTROSE NO JOELHO

De tempos em tempos surge uma nova moda de alguma coisa que promete tratar e até curar a artrose. É tentador para quem sofre com a doença a possibilidade de um tratamento que seja simples e acessível. Artrose no joelho? Só comer algum alimento ou tomar um suplemento que resolve! Bom se fosse fácil assim. A moda da vez, depois de passada a moda da condroitina e da glucosamina, é o colágeno. Você já deve ter lido ou ouvido falar que ingerir gelatina, pé de galinha, barbatana de peixe, cartilagem de tubarão, caldo de osso e suplementos de colágeno pode ajudar quem tem artrose nos joelhos. Mas será que isso é verdade? Ingerir alimentos ricos em colágeno ou suplementos de colágeno traz algum benefício para quem tem artrose nos joelhos?

ARTROSE

Artrose é o nome da doença degenerativa que afeta a cartilagem, o tecido branco e brilhante que reveste as extremidades dos ossos dentro das nossas articulações. A doença começa com o amolecimento da cartilagem ( condromalácia ) e pode progredir até o seu último grau ( grau IV ), quando os ossos da articulação doente ficam em contato direto ( osso com osso ). O joelho é a articulação mais afetada pela artrose. A doença provoca dor e limitação da mobilidade do paciente. O grande problema da artrose é que o tecido cartilaginoso não tem capacidade de regeneração porque é um tecido altamente especializado, com poucas células e avascular. O processo degenerativo da cartilagem é irreversível. A doença artrose ainda não tem cura conhecida.

SUPLEMENTOS

A ideia de ingerir suplementos de colágeno como forma de tratamento para a artrose surgiu da observação de que praticamente metade da matriz da cartilagem é formada por colágeno. Se a cartilagem está se degenerando, ingerir colágeno não poderia ajudar a evitar a progressão da degeneração ou, até mesmo, refazer a cartilagem que se desgastou? A ideia parece boa mas, na prática, infelizmente, não funciona.

COLÁGENO

O colágeno é a proteína mais abundante no reino animal. É a proteína que forma a matriz extracelular do tecido conjuntivo. O colágeno representa quase 1/3 das proteínas do nosso corpo. Ele é produzido dentro das células e polimerizado no meio extracelular num processo dependente da vitamina C. A molécula do colágeno é uma molécula grande, com a forma de uma tríplice hélice, contendo cerca de 3.000 aminoácidos. São 5 aminoácidos que formam o colágeno: glicina, prolina, lisina, hidroxiprolina e hidroxilisina. Existem 16 tipos de colágeno. No nosso corpo predominam os colágenos dos tipos I, II e III. Os tipos I e III são encontrados na pele, tendões, ossos é órgãos. O tipo II é encontrado na cartilagem das nossas articulações. O colágeno do tipo II é, portanto, o colágeno predominante na cartilagem dos nossos joelhos. Ele é produzido pelos condrócitos para a formação da matriz condral da cartilagem hialina.

TIPOS DE SUPLEMENTOS DE COLÁGENO

Existem no mercado 3 tipos de apresentação dos suplementos de colágeno: gelatina, colágeno hidrolisado e colágeno não desnaturado. A gelatina e o colágeno hidrolisado são os colágenos que foram pré-digeridos pelo processo da hidrólise, ou seja, foram quebrados pela água, cuja molécula foi incorporada na estrutura do colágeno. O colágeno não desnaturado, também conhecido como UC-II, é o colágeno que não foi pré-digerido.

DIGESTÃO DE PROTEÍNAS

DIGESTÃO

O processo de digestão das proteínas no nosso aparelho digestivo tem a finalidade de quebrar as moléculas proteicas que ingerimos nos seus aminoácidos constituintes. O intestino não absorve proteínas. Ele absorve os aminoácidos que formam as proteínas. Proteínas não digeridas não são absorvidas pelo nosso organismo e são eliminadas nas fezes. O nosso organismo não distingue as fontes das proteínas que ingerimos. Se você comer carne, peixe, frango ou feijão, por exemplo, as proteínas existentes nesses alimentos serão digeridas e sua decomposição irá liberar os seus aminoácidos constituintes, que serão absorvidos pelo intestino. Uma vez absorvidos, o nosso corpo usará os aminoácidos para sintetizar as proteínas que precisam deles naquele momento.

COLÁGENO NÃO É ABSORVIDO

A ingestão de colágeno é indiferente para a cartilagem porque não tem como ele ser absorvido no intestino, passar pelo metabolismo hepático, cair na circulação sanguínea e chegar na cartilagem de forma intacta. Devemos lembrar ainda que a cartilagem é um tecido não vascularizado, ou seja, não passa sangue na cartilagem, e que em pessoas com graus avançados de artrose a cartilagem nem existe mais. É uma ingenuidade pensar que basta ingerir colágeno para fortalecer ou regenerar a cartilagem das nossas articulações. Isso não é possível fisiologicamente. O colágeno ingerido não tem como chegar na cartilagem.

COLÁGENO PARA ARTROSE NO JOELHO

COLÁGENO NÃO É MEDICAMENTO

O Dr. Scott Gavura é um reconhecido farmacêutico canadense. Inconformado com a grande quantidade de produtos pseudocientíficos vendidos como medicamentos, que enganam as pessoas, ele começou a divulgar seus estudos e achados sobre o colágeno em 2.009. Ele faz parte da equipe de cientistas do Science-Based Medicine, um site onde estudiosos abordam questões médicas, particularmente aquelas relacionadas a práticas duvidosas ou perigosas. No seu artigo “ COLÁGENO: INVEROSSÍMIL SUPLEMENTO PARA DOR ARTICULAR “ ele explica que iniciou os seus estudos sobre o colágeno depois de ver a propaganda, num outdoor no centro de Toronto, de um suplemento de colágeno chamado Genacol®. Nas propagandas do Genacol® estava escrito: “ CIENTIFICAMENTE PROVADO PARA REDUZIR A DOR ARTICULAR “. Como farmacêutico de formação, ele decidiu se aprofundar nos estudos e comprovou que o suplemento de colágeno não funciona para a cartilagem e a divulgação de “ cientificamente provado ” se dá em cima de resultados duvidosos de ” trabalhos científicos ” muito mal elaborados e tendenciosos, feitos pela própria indústria. Os estudos do Dr. Gavura e vários outros estudos sérios mostraram que a ingestão de qualquer forma de colágeno não ajuda na manutenção nem promove a regeneração da cartilagem de quem tem artrose. O Dr. Scott Gavura alerta para o fato de que as pessoas podem estar sendo enganadas achando que estão tomando um medicamento porque o produto foi prescrito por um médico e é vendido em farmácias. Pior que isso, por falta de estudar mais o assunto e pelo bom trabalho dos propagandistas dos laboratórios, muitos médicos acreditam estar prescrevendo um medicamento para os seus pacientes. A maioria dos produtos contendo colágeno não é prejudicial à saúde. Algumas pessoas reclamam de dores no estômago, mal estar e diarréia quando tomam esses produtos. Mas o fato principal é que a ingestão de qualquer forma de colágeno não tem efeito algum sobre a cartilagem de quem tem artrose nos joelhos. A suplementação, na medicina, é usada para suprir a falta de algum elemento que está diminuído ou ausente no corpo. O colágeno é a proteína mais abundante que temos no nosso organismo. Não faz sentido algum suplementar o nosso organismo com a proteína mais abundante que ele tem.

COLÁGENO - ALERTA DO FDA

FDA – FOOD AND DRUG ADMINISTRATION

Nos Estados Unidos o FDA ( Food and Drug Administration ) classifica o colágeno como um SUPLEMENTO ALIMENTAR, como a condroitina e a glucosamina. Nas embalagens dos produtos vendidos nos Estados Unidos é obrigatória a seguinte observação: O FDA ADVERTE QUE ESTE PRODUTO NÃO SERVE PARA O DIAGNÓSTICO, TRATAMENTO, CURA OU PREVENÇÃO DE DOENÇAS. O FDA não aprova suplementos de colágeno para o tratamento de doenças da cartilagem.

COLÁGENO - ALERTA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE

No Brasil o colágeno é classificado pela ANVISA como ALIMENTO ( gelatina ) e na embalagem de preparados contendo colágeno deve constar a seguinte informação: O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE – NÃO EXISTEM EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS COMPROVADAS DE QUE ESTE ALIMENTO PREVINA, TRATE OU CURE DOENÇAS.

COLÁGENO - LUCROS

EFEITO PLACEBO

Algumas pessoas relatam que sentem alívio das dores nos joelhos artrósicos quando tomam suplementos de colágeno. Isso só é possível pelo efeito placebo porque, como vimos, o colágeno ingerido não é absorvido e não tem como chegar na cartilagem dentro das articulações. Gelatina não é remédio! A molécula do colágeno não é analgésica nem anti-inflamatória. O efeito placebo é uma reação real a um medicamento falso. A pessoa pode sentir alguma melhora pelo efeito psicológico criado pela expectativa de melhora com a ingestão do suposto remédio.

ALTOS LUCROS

O colágeno é produzido, mais comumente, pela raspa do couro dos animais abatidos nos frigoríficos. Carcaças de frango também são usadas. O material colhido é processado quimicamente e transformado em pó, que é vendido em sacas para as indústrias de alimentos, medicamentos e cosméticos. A margem de lucro nessa primeira venda já é alta. O lucro da indústria farmacêutica ao revender o colágeno para o consumidor final é superior a 1.000%. A venda de suplementos de colágeno é um negócio milionário.

WhatsApp
(41) 98824-3384
Cadastro
Agendamento