LIGAMENTO COLATERAL MEDIAL DO JOELHO

LIGAMENTO COLATERAL MEDIAL DO JOELHO

O ligamento colateral medial do joelho, ou LCM, é um dos quatro importantes ligamentos dessa articulação. Ele é uma faixa fibrosa larga e espessa e está localizado na parte interna ( medial ) do joelho, fazendo a união do fêmur à tíbia nessa região. A função principal do LCM é evitar que a tíbia seja lateralizada em relação ao fêmur, ou seja, o ligamento colateral medial do joelho evita a valgização da perna em relação à coxa. Secundariamente o LCM também evita o movimento rotatório entre o fêmur e a tíbia. Ele também tem um papel muito importante na propriocepção articular e, assim como os outros ligamentos do joelho, possui muitos proprioceptores. O ligamento colateral medial é, estatisticamente, o ligamento mais lesionado do joelho.

LESÃO DO LIGAMENTO COLATERAL MEDIAL

Lesões do ligamento colateral medial do joelho são relativamente comuns e acontecem quando o joelho recebe um traumatismo no seu lado externo, forçando a tíbia para fora e o fêmur para dentro. Esse tipo de traumatismo pode distender o ligamento ou até causar o seu rompimento. O rompimento poderá ser parcial ou total, dependendo da intensidade do traumatismo. As fibras ligamentares ficam estressadas devido ao impacto e a sua rotura é determinada pela combinação dos movimentos de flexão, valgo e rotação externa. Os pacientes relatam que sentem e/ou ouvem um estalo no momento do machucado e a dor é imediata. A lesão do ligamento colateral medial pode estar associada à lesão do ligamento cruzado anterior ( LCA ) e também a lesões meniscais. A parte profunda do ligamento costuma ser danificada primeiro.

TRÍADE INFELIZ

Em 1.950 O`Donoghue descreveu a lesão que ele chamou de tríade infeliz ou lesão terrível do joelho, que é a combinação de três lesões ao mesmo tempo: LCA, LCM e menisco medial. Esse tipo de lesão é o pesadelo dos atletas e acontece mais comumente em praticantes de esqui, futebol e rugby. Felizmente esse tipo de lesão tripla não é muito comum.

SINTOMAS DA LESÃO DO LCM

Dor na face medial da articulação, inchaço, equimose, diminuição da mobilidade e incapacidade de deambular normalmente são os sintomas mais comuns da lesão do ligamento colateral medial do joelho. O joelho pode ainda ficar travado, uma reação do corpo para evitar o aumento da lesão ligamentar. A tentativa de valgizar o joelho aumenta muito a dor.

LIGAMENTO COLATERAL MEDIAL JOELHO

DIAGNÓSTICO DA LESÃO DO LCM

O diagnóstico da lesão o ligamento colateral medial do joelho é feito através do exame de ressonância magnética, que evidenciará o machucado no ligamento e a sua extensão. No exame é possível ver, com exatidão, as camadas ligamentares lesionadas. O exame também é importante para a avaliação das outras estruturas do joelho como meniscos, ligamento cruzado anterior e cartilagem, uma vez que é relativamente comum a associação de lesões.

CLASSIFICAÇÃO

A classificação das lesões do ligamento colateral medial do joelho que é mais usada pelos especialistas divide as lesões em 3 graus. A avaliação das imagens do exame de ressonância magnética é que determinará a extensão da lesão. No grau I há apenas o estiramento do ligamento, no grau II há um rompimento parcial e no grau III o ligamento foi totalmente rompido.

TRATAMENTO

O tratamento das lesões do ligamento colateral medial do joelho dependerá da extensão da lesão ligamentar. O LCM é um ligamento superficial e muito bem vascularizado, o que facilita o processo de cicatrização. Por esse motivo a maioria das lesões do LCM costuma ser tratada conservadoramente. Repouso, medicamentos anti-inflamatórios e o uso de um brace constituem o tratamento básico da maioria das lesões do LCM e os resultados costumam ser muito bons.

LIGAMENTO COLATERAL MEDIAL - LCM

FISIOTERAPIA

Sessões de fisioterapia são muito importantes e ajudam o ligamento colateral medial lesionado a cicatrizar mais rápido. No início são tomadas medidas analgésicas. Depois são usados os aparelhos para acelerar o processo de cicatrização e exercícios de mobilidade articular. Na parte final do tratamento fisioterápico o foco é na recuperação da propriocepção e da força muscular do joelho.

CIRURGIA

A cirurgia para reconstrução do ligamento colateral medial do joelho é indicada nas lesões extensas, onde se observa nítida instabilidade articular. Isso acontece nas lesões de grau III, ou seja, nas roturas completas do LCM. A opção cirúrgica é especialmente indicada para atletas, uma vez que a rotura completa do LCM pode levar a uma instabilidade rotacional permanente, impedindo o retorno ao esporte. As lesões agudas podem ser reparadas e as lesões crônicas podem exigir reconstrução ligamentar com o uso de enxertos.

TEMPO DE RECUPERAÇÃO

Cada caso tem suas particularidades e o tempo de recuperação é diferente de paciente para paciente. A lesão de grau I leva, em média, de 2 a 3 semanas para cicatrizar e a lesão de grau II pode levar de 6 a 8 semanas para estar totalmente cicatrizada. As lesões de grau III, tratadas com cirurgia, podem precisar de até 6 meses para completa recuperação. As lesões próximas ao fêmur cicatrizam mais rapidamente do que as lesões mais distais, próximas à inserção do LCM na tíbia.

RETORNO AOS ESPORTES

O retorno aos esportes será autorizado pelo médico quando o ligamento estiver cicatrizado. Isso é verificado no exame de ressonância magnética. Além da confirmação radiológica, o paciente deve apresentar completa amplitude de movimentos do joelho, andar sem mancar e não sentir dor nos movimentos de estresse em valgo na região do ligamento cicatrizado. O retorno aos esportes deve ser gradual e progressivo. O paciente estará totalmente recuperado quando conseguir correr, driblar e chutar bola sem que apresente desconforto ou dor.

LCM JOELHO

LESÃO DE PELLEGRINI-STIEDA

As complicações das lesões do LCM são raras, principalmente se elas forem diagnosticadas e tratadas precocemente. A recorrência da ruptura é improvável. Casos não tratados ou com baixa adesão aos programas de reabilitação podem desenvolver ossificação no local da lesão, como na lesão de Pellegrini-Stieda. Comum em jogadores de futebol, futsal, handebol e basquetebol, a lesão de Pellegrini-Stieda é uma sequela da lesão do ligamento colateral medial do joelho. Essa sequela é caracterizada pela calcificação do tecido fibrótico que se forma após a lesão do LCM. O local costuma ficar bastante dolorido e o tratamento pode exigir, em alguns casos, uma pequena cirurgia.

ESPECIALISTA

Lesões ligamentares do joelho devem ser diagnosticadas e tratadas por médico ortopedista especialista em joelho. O processo de cicatrização ligamentar deve ser acompanhado pelo especialista até a recuperação total do paciente, principalmente nos casos cirúrgicos.

WhatsApp
(41) 98824-3384
Cadastro
Agendamento