CIRURGIA DE JOELHO

CIRURGIA DE JOELHO

Uma cirurgia de joelho pode ser indicada pelo médico ortopedista para o tratamento de uma lesão ou doença que não responde mais e/ou não pode ser tratada de forma conservadora, ou seja, sem cirurgia. Dor, deformidade e limitação dos movimentos são as principais indicações para um joelho ser submetido a uma cirurgia. Todas as estruturas anatômicas do joelho podem precisar de cirurgia, mas os procedimentos cirúrgicos mais comuns são aqueles que envolvem os meniscos, o ligamento cruzado anterior, a cartilagem e a patela. É muito importante que o paciente consulte um médico ortopedista especialista em joelho para avaliação do seu caso. Uma segunda opinião, com outro médico especialista, pode ser importante quando existe indicação para cirurgia.

ARTROSCOPIA

Atualmente a maioria das cirurgias de joelho podem ser feitas através de uma técnica moderna e avançada de cirurgia por vídeo, minimamente invasiva, chamada ARTROSCOPIA. Na artroscopia de joelho são feitas normalmente duas mini-incisões, uma de cada lado do joelho, não maiores do que 5 mm cada. Por um desses orifícios o médico introduz o ARTROSCÓPIO, um instrumento óptico que é acoplado a uma câmera e que transmite as imagens de dentro da articulação, ampliadas e em alta resolução, para um monitor de vídeo. Pelo outro orifício são inseridos os instrumentos cirúrgicos artroscópicos que permitem ao cirurgião tratar as lesões.

MENISCO

O menisco é uma estrutura anatômica muito importante no joelho. O joelho é a maior articulação do corpo humano. Ele é formado pela união da extremidade inferior do fêmur ( osso da coxa ), extremidade superior da tíbia ( osso da perna ) e pela patela ( ou rótula ) anteriormente. Entre o fêmur e a tíbia encontram-se duas estruturas de fibrocartilagem, com o formato de meia-lua, chamadas de MENISCOS. Eles funcionam como amortecedores, fazendo a adaptação entre as superfícies cartilaginosas dos dois ossos. O joelho é uma articulação de carga, porque suporta o peso do nosso corpo, e dentro dos nossos joelhos são os meniscos que recebem e transferem parte significativa das forças do fêmur para a tíbia. Os meniscos costumam sofrer lesões. Essas lesões acontecem em pacientes de todas as idades e podem ser traumáticas ou degenerativas.

LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR, ou LCA, é um dos mais importantes ligamentos do joelho. Ele está localizado na região central da articulação, unindo o fêmur ( osso da coxa ) à tíbia ( osso da perna ). A sua função é impedir a rotação e a translação anterior da tíbia em relação ao fêmur. Quando o ligamento cruzado anterior está rompido o joelho fica “frouxo” e quando esse joelho frouxo é submetido a algum esforço de maior intensidade ele pode subluxar. Os pacientes relatam que sentem o joelho “SAIR DO LUGAR” ou “FALSEAR”. No nosso meio o ligamento cruzado anterior costuma ser lesionado durante partidas de futebol, quando o jogador sofre uma entorse do joelho.

PATELA

A patela, também chamada de rótula, é o osso móvel localizado na frente do joelho. Ela é um osso sesamóide ( está dentro do tendão do músculo quadríceps da coxa ). A patela funciona biomecanicamente como o fulcro de uma poderosa alavanca que é responsável pelo movimento de extensão do joelho. Ela e as estruturas adjacentes suportam grandes cargas e são suscetíveis a doenças e lesões. O mecanismo extensor, do qual a patela faz parte, é a estrutura mais importante do joelho. Ele suporta forças que podem atingir de 8 até 12 vezes o peso do nosso corpo. Fraturas, condromalácia, luxação, tendinite, plica sinovial e patela alta são as indicações mais frequentes para cirurgia da patela.

CIRURGIA NO JOELHO

CARTILAGEM

A cartilagem hialina que recobre os ossos dentro do joelho é um tecido altamente especializado, cuja principal função é proporcionar superfícies lisas e lubrificadas para que os ossos se articulem entre si transmitindo carga com baixo coeficiente de atrito. A cartilagem hialina não é vascularizada. Também não possui nervos nem vasos linfáticos. Ela possui muito poucas células na sua estrutura e o metabolismo celular se processa de forma bastante lenta. Por esses motivos a capacidade de regeneração da cartilagem é praticamente nula. Preservar a cartilagem do joelho é de extrema importância para se evitar grandes problemas no futuro. Patologias e lesões condrais são uma causa importante de morbidade musculoesquelética. Uma cirurgia, como a condroplastia, pode ser indicada quando há necessidade de reparo da cartilagem.

ARTROSE

O tecido cartilaginoso pode sofrer lesões e/ou degenerar. As lesões da cartilagem são comuns em traumatismos do joelho. Uma pancada ou uma entorse podem comprometer a estrutura da cartilagem e dar início ao processo degenerativo. A degeneração da cartilagem é conhecida como ARTROSEOSTEOARTROSE ou OSTEOARTRITE. A degeneração da cartilagem do joelho é chamada de GONARTROSE. No nosso meio a expressão médica mais usada e conhecida é ARTROSE DO JOELHO. As cirurgias de osteotomia e de artroplastia são indicadas no tratamento da artrose nas suas fases mais avançadas, quando o tratamento conservador não surte mais efeito.

PRÓTESE DE JOELHO

A cirurgia de prótese de joelho, também conhecida como artroplastia do joelho, é indicada para casos de artrose avançada em pacientes que não respondem mais aos tratamentos conservadores. A qualidade de vida do paciente deve estar bastante comprometida pela doença. Apesar de ser uma cirurgia que costuma ter bons resultados, ela é indicada para um número pequeno de pacientes. Costuma ser o último recurso. A maioria dos pacientes com artrose no joelho não precisará de uma artroplastia.

FRATURAS

O fêmur distal, a patela e a tíbia proximal podem sofrer fraturas. Fraturas instáveis e/ou com deslocamento de fragmentos podem precisar de tratamento cirúrgico, principalmente quando envolvem as superfícies articulares.

CIRURGIA JOELHO

ANESTESIA

A anestesia geral, a anestesia peridural e a anestesia raquidiana são as técnicas anestésicas mais usadas para as cirurgias de joelho. Antes da cirurgia, na consulta pré-anestésica, o paciente recebe do médico anestesiologista todas as informações sobre a melhor anestesia para a cirurgia indicada pelo médico ortopedista.

CUSTO DE CIRURGIA

O custo de uma cirurgia de joelho depende de vários fatores, mas os 3 mais importantes são: cirurgião, hospital e materiais/implantes. Cada caso com indicação cirúrgica tem suas particularidades. Um orçamento detalhado só poderá ser feito após o paciente ser avaliado pelo médico cirurgião.

RECUPERAÇÃO

A recuperação de uma cirurgia de joelho depende de muitos fatores. Cada caso tem suas particularidades e o cirurgião pode, antes do procedimento, dar para o paciente uma estimativa sobre o tempo e as fases de recuperação pós-operatória. Sessões de fisioterapia costumam ser solicitadas para acelerar o processo de recuperação.