PATELA

PATELA

A patela, antigamente chamada de rótula, é o pequeno osso móvel localizado na frente do joelho. Ela tem a forma triangular. Na sua base se insere o tendão quadricipital e do seu ápice se origina o tendão patelar. A patela faz parte do mecanismo extensor do joelho. Ela se articula com o fêmur na tróclea femoral, que é o sulco existente no fêmur distal e que forma a articulação patelofemoral.

PATELA

A palavra patela tem origem latina e significa pequeno prato. A patela é o maior osso sesamóide do corpo humano. Ela está localizada na região anterior do joelho, dentro do tendão do músculo quadríceps femoral, fornecendo um ponto de fixação tanto para o tendão do quadríceps quanto para o ligamento patelar. Ela se articula com o fêmur formando a articulação patelofemoral. O alinhamento estático e dinâmico da patela no seu sulco no fêmur é clinicamente importante para a compreensão das patologias femoropatelares.

OSSIFICAÇÃO

Os bebês nascem sem as patelas. Com 2 ou 3 anos de idade o início da ossificação da patela é detectado em radiografias do joelho. A patela normalmente tem um único centro de ossificação. O processo de ossificação termina entre 5 e 6 anos de idade.

VASCULARIZAÇÃO

A vascularização da patela é proveniente de um anel anastomótico formado por várias artérias: tibiais recorrentes anteriores, genicular suprema, genicular medial superior, genicular medial inferior, genicular lateral superior e genicular lateral inferior.

INERVAÇÃO

A inervação cutânea anterior do joelho é derivada das raízes nervosas L2 a L5. A inervação cutânea anteromedial é derivada dos nervos genitofemoral, femoral, obturador e safeno. A inervação cutânea anterolateral é derivada dos nervos femoral lateral e sural lateral. A inervação intaóssea da patela provém de feixes neurovasculares que entram na patela, principalmente pelo polo superior e medialmente.

PATELA DO JOELHO

MÚSCULOS

O músculo quadríceps femoral, que é o grande músculo localizado na região anterior da coxa, é formado pela união dos músculos vasto medial, vasto intermédio, vasto lateral e reto femoral. Esses quatro músculos convergem para formar o tendão do quadríceps que se insere no polo superior da patela. Do ápice da patela sai o ligamento patelar que se insere na tuberosidade anterior da tíbia. O músculo quadríceps femoral, o tendão quadricipital, a patela e o ligamento patelar formam o mecanismo extensor do joelho. A contração do músculo quadríceps femoral estende a perna na articulação do joelho.

LIGAMENTOS

A patela se mantém no sulco troclear devido aos ligamentos patelofemoral medial, patelofemoral lateral e ligamento patelar. Esses ligamentos são responsáveis pela estabilidade estática da patela. A lesão do ligamento patelofemoral medial acontece quando a patela se desloca lateralmente da tróclea femoral, condição conhecida como luxação patelar.

OSSO SESAMÓIDE

Osso sesamóide, na anatomia, é o osso que está inserido dentro de um tendão. Temos vários ossos sesamóides no nosso corpo. A patela é classificada na anatomia como um osso sesamóide porque está localizada dentro do tendão do músculo quadríceps femoral. A patela é o maior osso sesamóide do nosso corpo.

CARTILAGEM

A superfície articular da patela é recoberta por uma espessa camada de cartilagem hialina. É a cartilagem mais espessa dentro de uma articulação no nosso corpo. A cartilagem da patela tem cerca de 5 mm de espessura, é mais macia do que a cartilagem da tróclea femoral, não acompanha o contorno do osso subcondral e é capaz de absorver e distribuir forças equivalentes a várias vezes o peso do corpo. Ela apresenta propriedades morfológicas e mecânicas únicas que a tornam diferente das outras cartilagens do joelho. Sua capacidade de deformação é de cerca de 6%. A cartilagem é um tecido que não se regenera porque não é vascularizada, é formada por poucas células e o metabolismo de suas células é muito lento.

PATELA NO JOELHO

FUNÇÃO DA PATELA

Muitos ortopedistas proeminentes do século XX consideravam a patela um osso inútil. Mas hoje sabemos que ela desempenha uma importante função biomecânica na complexa alavanca que se forma no joelho quando o movimentamos. A função biomecânica da patela é aumentar o braço de alavanca na frente do joelho para que o músculo quadríceps faça a extensão da perna sobre a coxa com menor força. A área de contato patelofemoral, que é o fulcro da alavanca, desloca-se com os movimentos do joelho. À medida que o joelho flexiona, a força dentro do ligamento patelar diminui em relação à força dentro do tendão quadricipital. A patela também oferece proteção para a região anterior do joelho.

PATELA ALAVANCA JOELHO
PATELA JOELHO

CLASSIFICAÇÃO DA PATELA

Uma elevação longitudinal e central na cartilagem da patela divide a superfície articular nas suas duas facetas principais – medial e lateral. Wiberg classificou as patelas em 3 tipos. A patela tipo I tem as facetas medial e lateral do mesmo tamanho. A patela tipo II tem a faceta lateral um pouco maior do que a faceta medial. Na patela tipo III a faceta lateral é bem maior do que a faceta medial. A patela mais comum é a do tipo II de Wiberg, que está presente em cerca de 57% dos joelhos. A patela tipo I está presente em 24% dos joelhos e a tipo III em apenas 19% dos joelhos.

LESÕES E DOENÇAS

Por estar relativamente exposta e ser submetida a enormes forças de tração e de compressão, a patela é suscetível a lesões e doenças. Fraturas e luxações são as lesões mais frequentes. Condromalácia patelar, artrose, hoffite, bursite, tendinite patelar e tendinite quadricipital são as doenças mais comuns.

EXAMES DE IMAGEM DA PATELA

EXAMES DE IMAGEM

O médico ortopedista especialista em joelho costuma solicitar 3 exames de imagem para estudar a patela: RX, tomografia computadorizada e ressonância magnética. O RX do joelho é o exame mais simples e costuma ser o primeiro exame para avaliação da articulação patelofemoral. É um exame fácil de ser feito e está disponível em quase todos os hospitais. A tomografia computadorizada e a ressonância magnética são exames mais sofisticados, que permitem o seccionamento e a reconstrução tridimensional do joelho. Nesses exames é possível identificar todos os elementos anatômicos da articulação.

ÁCIDO HIALURÔNICO

O melhor resultado da viscossuplementação, que é a aplicação de ácido hialurônico no joelho, é no tratamento da condromalácia patelar, principalmente nos seus graus iniciais.