APLICAÇÃO DE OZÔNIO NO JOELHO

APLICAÇÃO DE OZÔNIO NO JOELHO

De tempos em tempos surge uma nova moda de alguma coisa que promete tratar e até curar a artrose. É tentador para quem sofre com a doença a possibilidade de um tratamento que seja simples e acessível. Artrose no joelho? Bastam algumas aplicações de ozônio. Se fosse bom e realmente funcionasse, a maioria dos especialistas em joelho do Brasil e do mundo já estariam usando. Mas as aplicações costumam ser feitas por médicos que não são especialistas em joelho e, até mesmo, por não médicos, expondo os pacientes a riscos desnecessários. Na maioria das vezes as aplicações são feitas na clandestinidade.

OZONIOTERAPIA

A aplicação de ozônio no joelho tem sido divulgada, principalmente na internet, como uma possibilidade de tratamento para a artrose do joelho. Segundo os seus divulgadores, a aplicação de ozônio no joelho, muitas vezes associado com o uso sistêmico do gás ( retal, auto-hemoterapia, etc… ), pode diminuir a dor, melhorar a função articular e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida dos pacientes que sofrem com a doença. Alguns “especialistas” afirmam que a cartilagem pode até ser regenerada com o uso do ozônio. A “terapia” não é reconhecida como prática médica pelo CFM ( Conselho Federal de Medicina ), que a classifica como experimental no Brasil. Nos congressos internacionais da especialidade o assunto sequer é abordado.

INJEÇÃO DE OZÔNIO

ARTROSE

Artrose é o nome da doença degenerativa que afeta a cartilagem, o tecido branco e brilhante que reveste as extremidades dos ossos dentro das nossas articulações. A doença começa com o amolecimento da cartilagem ( condromalácia ) e pode progredir até o seu último grau ( grau IV ), quando os ossos da articulação doente ficam em contato direto ( osso com osso ). O joelho é a articulação mais afetada pela artrose. A doença provoca dor e limitação da mobilidade do paciente. O grande problema da artrose é que o tecido cartilaginoso não tem capacidade de regeneração porque é um tecido altamente especializado, com poucas células e avascular. O processo degenerativo da cartilagem é irreversível. A doença artrose ainda não tem cura conhecida.

OZÔNIO

O ozônio é um gás natural formado a partir do oxigênio. A molécula do gás ozônio é formada por 3 átomos de oxigênio ( O3 ). O ozônio está presente nas camadas altas da atmosfera, onde tem o importante papel de absorver a radiação ultravioleta que vem do sol. Se não fosse a camada de ozônio, os seres vivos sofreriam graves danos e a vida no planeta estaria ameaçada. O ozônio é um gás tóxico, prejudicial à saúde quando inalado, que causa irritação nos olhos, na garganta e nos pulmões. Também provoca tosse, náuseas, vômitos, cefaléia e agrava os sintomas da asma. A exposição ao ozônio causa danos permanentes aos pulmões e pode ser fatal. Muitas pessoas já tiveram efeitos adversos após serem submetidas a “tratamentos” com ozônio. Envenenamento, necrose tecidual, úlceras, lesão neurovascular, aceleração do processo artrósico, osteonecrose, artrite séptica, amputação, embolia, cegueira, infecções, distúrbios visuais, arritmias cardíacas, ataques cardíacos, paralisia apoplética, edema pulmonar, ruptura de tendões, miosite, sinovite, descoloração da pele, choque anafilático e morte são alguns dos problemas que já foram relatados. Terapias usando ozônio podem ser associadas à toxicidade do sistema nervoso central, uma condição conhecida como encefalopatia induzida pelo ozônio, que pode causar déficits neurológicos, cegueira central, convulsões e estado mental alterado, independentemente da via de administração. O ozônio tem sido divulgado também pelo seu efeito desinfetante, mas a concentração necessária para se obter o efeito germicida é muito superior àquela que pode ser tolerada com segurança pelo ser humano e pelos animais.

TEORIA

Os defensores da ozonioterapia para o tratamento da artrose do joelho afirmam que o ozônio possui propriedades analgésicas e anti-inflamatórias capazes de garantir uma diminuição rápida e permanente da dor do joelho artrósico. O ozônio pode ser aplicado diretamente no espaço articular ou em “pontos biologicamente ativos” do organismo, para, supostamente, otimizar a capacidade de cura do organismo. Auto-hemoterapia, insuflações retais, injeções intramusculares, injeções venosas, ensacamento com ozônio, ozonioapuntura e a aplicação de óleo ozonizado são outras formas de tratar a artrose do joelho com ozonioterapia.

OZÔNIO NO JOELHO

CFM

O CFM ( Conselho Federal de Medicina ) não reconhece a ozonioterapia como prática médica. O seu uso está autorizado apenas como tratamento experimental. Procedimentos com ozônio só podem ser feitos em pacientes no curso de pesquisas científicas registradas e que sigam os critérios da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Os participantes devem concordar em participar da pesquisa científica e receber suporte médico-hospitalar em caso de reações adversas e complicações. Nesses casos não pode haver a cobrança dos pacientes. Leia AQUI a Resolução do CFM sobre o assunto.

ANVISA

Não existem aparelhos geradores de ozônio regularizados e registrados na ANVISA para uso médico. A ANVISA só regulariza e registra aparelhos geradores de ozônio para uso estético ( limpeza de pele ) e odontológico ( tratamento de cáries ). O uso do ozônio fora dessas finalidades contraria a legislação sanitária brasileira. A lei prevê o cancelamento do alvará, a apreensão dos equipamentos e multas para quem usar o ozônio como procedimento médico, seja para prevenção e/ou tratamento de qualquer patologia.

TRATAMENTO EXPERIMENTAL

Não é permitido “tratar” pessoas de forma experimental com ozônio sem um projeto sistematizado e devidamente aprovado. Tratamentos e procedimentos médicos no Brasil precisam estar registrados na Anvisa e devem ser reconhecidos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) como práticas válidas no país. Procedimentos de exceção devem ser regrados pelos CEPs ou Comitês de Bioética. Jamais podem ser realizados de forma independente pelo médico assistente do caso, sem autorização expressa do paciente (ou seu representante legal) e dos comitês citados. Do ponto de vista ético e moral, mesmo que um paciente exija um tratamento experimental, sem base científica, o médico não poderá realizá-lo. Em vez disso, deverá orientar, demonstrar e auxiliá-lo a concluir pela impropriedade de determinadas atitudes. Os atos médicos são de responsabilidade de quem os pratica, sendo solidária a direção técnica/clínica da instituição em que ocorreram. Esta deve demonstrar que ofertou a melhor maneira de tratar aquele paciente de acordo com as evidências científicas, infraestrutura e recursos humanos apropriados. Tratamentos experimentais não devem ter custo para o paciente e devem ser realizados em hospital-escola, seguindo todos os protocolos determinados pelas autoridades competentes.

CHARLATANISMO

A maioria dos médicos concorda que a ozonioterapia é mais uma forma de charlatanismo usada para tomar dinheiro de pessoas ingênuas que acreditam na cura de doenças incuráveis, como a artrose do joelho. A artrose é uma doença que ainda não tem cura conhecida. Quem descobrir a cura para a artrose deverá ser agraciado com o prêmio Nobel de Medicina. Devemos desconfiar de tratamentos milagrosos, divulgados por pessoas sensacionalistas, supostamente capazes de curar centenas de doenças diferentes. Não existe na história da Medicina relato de tratamento ou terapia capaz de tratar e curar mais de 200 doenças diferentes, algumas graves, como artrose, câncer, osteomielite, hérnia de disco, paralisia, Alzheimer, Parkinson, cegueira, COVID-19 e AIDS.  Também devemos desconfiar de práticas chamadas de Medicina alternativa. Não existe Medicina “alternativa”. A ciência médica é uma só. Práticas não reconhecidas pela Medicina costumam ser alguma forma de charlatanismo.

FDA

O FDA ( Food and Drug Administration ), a agência que controla medicamentos nos Estados Unidos, cita, no seu Manual de Normas Técnicas, revisado em abril de 2.020, que O OZÔNIO É UM GÁS TÓXICO SEM NENHUMA APLICAÇÃO MÉDICA ÚTIL CONHECIDA, SEJA COMO TERAPIA ESPECÍFICA, ADJUVANTE OU PREVENTIVA. Desde 1.991 centenas de pessoas que vendiam produtos com ozônio, prometendo a cura de doenças, ou que operavam clínicas que aplicavam tratamento com ozônio foram processadas e presas após denúncia do FDA. O FDA proíbe todos os usos supostamente terapêuticos do ozônio.

AAOS

A AAOS ( American Academy of Orthopaedic Surgeons ) não recomenda a ozonioterapia como forma de tratamento para a artrose do joelho.

ESPECIALISTA

A moda da aplicação de ozônio no joelho parece estar aumentando. Pessoas ingênuas caem na conversa dos “especialistas” aplicadores de ozônio. Vimos várias barbaridades no nosso consultório, em pessoas que receberam ozonioterapia no joelho, como lesões de vasos sanguíneos, lesões de nervos periféricos, necrose de pele, equimoses, artrite séptica, infecções superficiais, lesões tendíneas, lesões da gordura de Hoffa, embolia, etc… Muitos pacientes receberam aplicações em lugares não indicados para injeção no joelho. Uma paciente teve sangue retirado do braço, misturado com ozônio, e depois reaplicado no corpo através de uma injeção na nádega que foi aplicada em local errado e de forma errada e que evoluiu para um abscesso. Pacientes com artrose no joelho relataram que receberam ozônio através de uma sonda introduzida no ânus. Obviamente que nenhum desses pacientes teve qualquer melhora com as aplicações. Pacientes com artrose no joelho devem consultar um médico ortopedista especialista em joelho para receber o tratamento correto para a sua doença articular.